domingo, 14 de junho de 2009

Poderia ser eu


Em minhas observações eu pude notar uma cena...
Estava sem carro e utilizando transporte coletivo, (como querem as autoridades) percebi que será necessário uma ótima estratégia e grandes obras para melhorar o fluxo viário em minha cidade.
Mas eis que perdido na monotonia de um trânsito lento, vi duas passageiras, respectivamente mãe e filha, que acabavam de embarcar e se sentaram no banco em minha frente.
Uma viagem, em um trânsito que não flui, nos causa diversas reações, como o sono, por exemplo. Tirei uma uma revista para ler, quando com o canto do olho percebi que a filha estava cochilando. Não demorou muito e ela caiu-se para o lado, recostando no ombro da mãe como amparo. Quão surpreso fiquei quando de gesto brusco e repentino a filha foi repelida pela mãe! A filha sem entender o que acontecia, ainda sonolenta, meio cambaleante inclinou-se para frente, apoiando-se no próximo banco. Fiquei pensando...o que se passava na cabeça da mãe? que tipo de coisa lhe atormentava a mente para tal atitude? A única coisa que a filha queria era somente sentir-se acolhida.
O que fazer quando aqueles que achamos encontrar segurança são justamente os que nos repelem? No íntimo fiquei indignado com o que vi, pensei até em intervir, mas me detive. Talvez porque aquela atitude poderia ser a minha, quando chego em casa depois de um dia nada agradável ou quando quase tudo deu errado, fico com o humor afetado e os meus queridos é quem sofre as consequências. Poderia ser eu, quando não estou com paciência para responder as perguntas de meu filho, ou jogar com ele um "cara ou coroa" quando na realidade ele só queira o "amparo" da minha atenção.
Mas a viagem seguiu, lentamente pelo trânsito engarrafado, e a cena seguinte porém, me deixou mais animado. A mãe talvez percebendo da atitude tamanha estupidez ou tocada de remorso, trouxe para junto de si a menina sonolenta, que agora aceita e aconchegada, voltou a dormir.
Confabulei comigo mesmo... mesmo com atitudes desprezíveis, ainda encontra-se espaço para refazer o caminho com pequenos gestos e consertar o que ainda é possível.

8 comentários:

wanessa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
wanessa disse...

O mais incrivel de ler artigos de pessoas intelectualmente inteligentes, é a maneira de como enchergam a vida. É fantastico olhar e observar coisas simples do nosso cotidiano e poder aprender ou ate mesmo repensar, com pequenas atitudes do nosso próximo.

Claudia disse...

A maneira de como olhamos as coisas é que fazem toda diferença!!!! È olhar e ver e não só olhar e não ver!!!!
Parabéns pela visão tão profunda ,e pela liçaõ aprendida!!!!!

Léo Fontes disse...

O ônibus se tornou um palco, ou talvez um telão de cinema (real), o interessante que seus olhos puderam ver além de pequenas atitudes, e o que deixou amortecida uma espécie de indignação foi se ver no contexto, e tentar não justificar a atitude da mãe, mas notar que ainda existe tempo para reconhecer falhas.

Gostei muito do seu prisma e de como sintetizou em palavras.

Abraço,
Léo Fontes

Sthefania Ferreira da Silva disse...

Muito bom, belo texto, e mais belo ainda a observação que fez.

;)

Bjos!

caccibele disse...

Ter momentos para refletir em meio ao stress do dia a dia e conseguir tirar lições de pequenas e grandes coisas é que torna o homem mais sábio,e o dignifica em seu caminho.
Parabéns!!!
Estou orgulhosa de meu amigo!!!
Que Deus o use sempre.
Distantes e com saudades
Cibele - Bridgeport CT - USA

Ramerly disse...

É amigo,.........assim caminha a humanidade, cada vez mais longe uns dos outros e mais próximos de si mesmos.Muitas vezes nos pegamos fazendo o mesmo que esta senhora,não olhamos os que nos rodeião.E se precisam de nós? não percebemos......Foi bom meditar nas minhas atitudes, após ter lido seu texto.
Espero olhar meus semelhantes com mais atenção e carinho.

Valeu amigo!!!!

paulo marreco disse...

Monstrón!!! Revelando os talentos escondidos, meu caro Evandro! Muito bom o texto, sensibilidade em perceber a lição nos pequenos detalhes da vida, e qualidade em cada palavra! Inspiração divina! Parabéns, continue assim!
P.S.: Hoje tem crônica nova no www.ondaon.com.br. Se puder dar uma espiadinha... Abraços!